PDD | DIÁLISE

Leitura min

SUMÁRIO

A diálise é um procedimento artificial que remove os resíduos e a água em excesso no sangue. É uma técnica que substitui, embora apenas de forma parcial, algumas das funções do rim, à exceção da transplantação renal, não existe nenhuma outra alternativa para atingir os mesmos fins. Apesar de a diálise não substituir totalmente a função dos seus rins, designadamente no que respeita à produção das substâncias essenciais (eritropoietina e vitamina D ativa), pode proporcionar-lhe uma qualidade e uma esperança de vida aceitáveis.1

A perda das funções dos rins, podendo ser aguda ou crónica. As causas desta doença são várias, os rins tornam-se incapazes de proceder à eliminação de certos resíduos produzidos pelo organismo.

A Insuficiência Renal Aguda (IRC) ou Lesão Renal Aguda (LRA), perda rápida de função renal que pode ser recuperada no espaço de poucas semanas. As causas devem-se desidratação, intoxicações, traumatismos, medicamentos e algumas doenças. Dependendo da gravidade e porque a vida não é possível sem os rins a funcionar, pode ser necessário fazer diálise.

A Insuficiência Renal Crónica (IRC) perda lenta progressiva, irreversível das funções renais (é nesta fase que se aconselha ás pessoas a iniciarem um caminho pessoal de preparação para a diálise).

A decisão de iniciar a substituição da função renal decorre da percepção de que já não é mais possível tratar os sinais e sintomas medicamente, pois, apesar de crescentes doses dos fármacos, os sintomas não passam, a pessoa está cada vez mais fraca e a sua capacidade física deteriora-se progressivamente.

arvore
Algoritmo clínico/árvore de decisão

A diálise é um tratamento definitivo para os doentes que, em virtude das suas características individuais, não possam ser submetidos a transplantação renal. Nas pessoas candidatos a transplantação, a diálise é, apenas, um tratamento alternativo enquanto aguardam, (o que pode demorar anos).1

Nem todos as pessoas são elegíveis para todas as alternativas, mas, caso não haja nenhuma contra-indicação para nenhuma, deve ser dado o direito de opção.

EXISTEM DOIS TIPOS DE DIÁLISE

  • Diálise Peritoneal.
  • Hemodiálise.

A admissão da pessoa com DRC ao tratamento deve ser acompanhada de uma tomada de decisão, esclarecida e informada, sobre a modalidade de tratamento que melhor se adequa ao seu projeto de vida. 2

Em função da escolha, a pessoa deve ser preparada para a técnica, através da construção de um Acesso Vascular (as fístulas de Brescia-Cimino apresentam maior sobrevida e são as que menos complicações dão), ou colocação de um cateter intraperitoneal (cateter de Tenckhoff).

Se possível, o pessoa deve ser referenciado para um Centro de Transplante Renal, especialmente se existe possibilidade de dador vivo.


Publicado por: 🌱 au_tavares | 2021-05-29 | Última atualização: 2022-04-05

Referências Bibliográficas

[1] Direcção Geral de Saúde (2012). Norma nº 017/2011 de 28 de Setembro de 2011 - Tratamento Conservador Médico da Insuficiência Renal Crónica Estádio 5

[2] Guia Orientador de Boa Prática - Cuidados à pessoa com doença renal crónica terminal em hemodiálise



Back to Top ↑