Transplante

 

Vários estudos demonstram que a prática regular de exercício físico é altamente positiva para os doentes transplantados – com efeitos benéficos na sua qualidade de vida em geral. O exercício físico regular contribui de forma decisiva para reduzir o risco de desenvolvimento de doenças crónicas em doentes transplantados, como resultado dos efeitos secundários do tratamento imunossupressor (Comité de Peritos em Transplantação de Órgãos (CD-P-TO) do Conselho da Europa)

 

Exercício físico e posicionamentos

 

A prática regular de exercício físico é importante para controlar o peso, prevenir uma série de doenças e proporcionar um bem-estar físico e emocional que quem só pratica, entende. No entanto, apesar de estar recomendado para as pessoas que foram alvo de um transplante, deve ser orientado por profissionais competentes e respeitar alguns ítens:

  • A cicatrização total da ferida cirúrgica ocorre entre a 6ª e a 8ª semana pós-cirurgia. Durante este período não convém levantar objectos muito pesados; empurrar ou puxar objetos grandes ou de muito peso nem realizar actividades que produzam ou aumentem a dor no local da cirurgia.

  • Depois deste período, os exercícios físicos podem aumentar de intensidade.

  • Desportos de contacto, que possam provocar choque na região abdominal (como o futebol, andebol, jiu-jitsu, karaté, basquetebol, etc) devem ser evitados.

  • Exercícios físicos durante episódios de rejeição são contra-indicados.

  • Caminhadas, andar de bicicleta e nadar em piscinas limpas são excelentes exercícios, após a cicatrização.

  • A pessoa não se deve deitar para o lado do rim transplantado.

  • Deitar-se ou levantar-se bruscamente é contra-indicado.

  • Deve parar qualquer actividade física se surgir cansaço ou falta de ar.

 

 

“O exercício físico pode e deve ser praticado pelas pessoas transplantadas, mas nunca antes dos 3 meses após o transplante e preferencialmente 6 meses após a intervenção”.

 

O que posso fazer se não gosto de ir ao ginásio?

Não há inconveniente, pode fazer exercícios benéficos um pouco por todo o lado. Comece com exercícios simples como subir escadas ou fazer flexões junto a uma parede. Em seguida, alargue o seu programa de treino, complementando com exercícios tais como caminhar, correr, pular, andar de bicicleta (fixa ou móvel), jogar ténis, natação, entre outros. Qualquer tipo de atividade física pode ser realizada se tiver sido previamente aprovada pelo seu médico. (Comité de Peritos em Transplantação de Órgãos (CD-P-TO) do Conselho da Europa)

 

 

 

Quem doa órgãos também pode e deve praticar exercício físico. Os dadores podem praticar desporto sem restrições significativas após terem completado a sua recuperação.

 

 

 Folheto informativo "Exercite o seu caminho para uma melhor saúde pós-transplante", do Comité de Peritos em Transplantação de Órgãos (CD-P-TO) do Conselho da Europa

 

O Conselho da Europa é a principal organização de defesa dos direitos humanos no continente. Integra 47 Estados membros, 28 dos quais são também membros da União Europeia. A Direção Europeia da Qualidade dos Medicamentos e Cuidados de Saúde (EDQM) pertence ao Conselho da Europa. A sua missão é contribuir para o direito humano básico de acesso a medicamentos e cuidados de saúde de boa qua- lidade, bem como promover e proteger a saúde pública.

 

Publicado: portaldadialise | 2018-03-14 12:59 Última atualização: 2018-03-14 17:54:16 Fonte: Instituto Português do Sangue e Transplantação Tags : Exercício físico, Transplante
Partilhar:
Portal da Diálise

"Privilegia informação clara sobre a doença renal, assentando numa base de conhecimentos científicos actualizados"

Artigos Relacionados
Comentários