Alimentação & Receitas

 

A ingestão de água é a melhor forma de manter os rins saudáveis. Sem uma quantidade adequada de água, que ajuda a transportar nutrientes e a eliminar os resíduos, eles podem perder a capacidade de filtrar o sangue.

Muitos dos problemas dos rins decorrem da desidratação, ou seja, da ingestão de quantidades de água inadequadas ao seu funcionamento. Para bem estar destes órgãos, é importante estar num estado de hidratação adequada, pois isso é que permite o bom funcionamento do rim e dos diversos sistemas do corpo.

Uma alimentação saudável inclui, não só um regime alimentar adequado às necessidades nutricionais de cada um, mas também a ingestão hídrica diária suficiente. Os alimentos que ingerimos fornecem apenas 20% da água que necessitamos pelo que é fundamental ingerir pelo menos 2 litros de água por dia para compensar as restantes necessidades hídricas do organismo.

 

Para manter os seus rins saudáveis deve beber a quantidade de água certa diariamente e varia com diversos fatores: a idade, o clima, o exercício físico, a gravidez, a amamentação ou a doença.

 

O nosso corpo é constituído por 60-70% de água, sendo esta fundamental ao seu equilíbrio e bom funcionamento. Entre as suas funções destacam-se:

  • Ser componente essencial do sangue, linfa e de todas as secreções corporais;

  • Transportar os nutrientes e oxigénio para as células;

  • Participar nos processos de digestão, absorção, metabolismo e excreção do organismo;

  • Manter a temperatura corporal.

 

 

Pode ainda ajudar na perda de peso, uma vez que ao estimular os rins previne a retenção de líquidos, e proporciona uma sensação de saciedade.

 

 

Os fatores que aumentam a necessidade de água incluem:

  • consumo de álcool e cafeína,

  • ambientes com ar condicionado ou aquecidos,

  • verão (temperaturas elevadas e exposição ao calor),

  • toma de diuréticos,

  • diabetes,

  • idade (crianças e idosos),

  • gravidez e amamentação.

 

 

A desidratação é facilmente combatida, quando detetada atempadamente, através da ingestão de água.

Os sintomas de desidratação são:

  • dor de cabeça,

  • cansaço,

  • alterações do humor,

  • diminuição da capacidade de reação,

  • boca seca e lábios gretados,

  • vias nasais secas, urina escura, fraqueza.

 

 

A desidratação severa pode causar sonolência, confusão mental e alucinações.

 

 

Conselhos para manter os seus rins saudáveis:

  • Beba oito copos de água por dia (cerca 2l), mas não esqueça que se fizer exercício ou apanhar sol deve reforçar a ingestão.

  • Em caso de falência renal, os rins deixam de eliminar urina e necessitará de diálise. Por conseguinte a quantidade de água deve ser adequada ás suas necessidades.

  • Se pratica exercício físico beba mais água, mas cuidado! Quantidades excessivas podem levar á diluição do sódio no sangue e causar hiponatrémia (sódio baixo no sangue).

  • Em ambientes aquecidos ou no verão as perdas por transpiração são superiores pelo que deve aumentar a ingestão hídrica.

  • A sensação de sede é a forma do organismo manifestar a necessidade de água, e indicia desidratação, pelo que é imperativo criar o hábito de beber água.

  • Prefira água para satisfazer a sede, no entanto pode substituí-la por outro tipo de líquidos sem açúcar, álcool ou cafeína. Pode também adicionar limão, lima ou laranja á água.

  • A cor da urina mostra se está a beber a quantidade certa de água. Se a urina for amarela clara ou incolor significa que a quantidade que ingere é a adequada. Quanto mais escura for a urina mais desidratado está o organismo, logo necessita de beber mais água.

  • A água ajuda a prevenir as pedras nos rins, na medida em que dissolve os cristais que formam as pedras e assim ajuda a eliminá-las mais facilmente através da urina. E as infeções urinárias pois ajuda a dissolver os antibióticos usados para a infeção, o que os torna mais eficazes, e aumenta a produção de urina o que ajuda a elimina as bactérias que causaram a infeção.

  • Se está doente com febre, com vómitos ou diarreia reforce a ingestão hídrica.

  • Se está grávida ou a amamentar beba mais água para se manter hidratado.

  • Cuidado com os medicamentos e produtos de contraste para exames. Leia as bulas e verifique se os medicamentos que ide tomar afetam os rins, reforce a quantidade de água. Quando faz um exame com produto de contraste beba mais água.

 

 

O bom funcionamento do nosso organismo depende do equilíbrio entre a ingestão de líquidos (presentes nos alimentos e na água/bebidas que ingerimos) e as perdas de líquidos do nosso organismo (maioritariamente na urina, mas também na transpiração e fezes). Este equilíbrio é fundamental para não colocar a saúde em risco.

 

A maioria das pessoas não bebe água suficiente durante o dia o que prejudica a função renal. Como são filtros de alto volume, eles precisam da quantidade adequada de água para remover toxinas e resíduos indesejados do sangue. Assim, beber bastante água em intervalos regulares ao longo do dia fará com que trabalhem da maneira adequada e não fiquem congestionados.

 

Privilegie a água como líquido de eleição. Não tem açúcar. A água da torneira é boa, mas se preferir a engarrafada verifique se o teor de sódio é inferior a 30mg por 100ml.

 

No entanto, no mercado existe á disposição uma variedade enorme de bebidas que contêm entre 85-95% de água, incluem sumos de frutas, de polme e de extratos vegetais, aromatizadas, sumos 100%, néctares, chás e tisanas, bebidas isotónicas e bebidas lácteas. A sopa também é uma excelente fonte de líquidos.

 

Não esqueça! A sede é um sinal de alerta. Traga sempre consigo uma garrafa de água.

 

Lembre-se… sem comer pode passar várias semanas, mas sem beber água apenas alguns dias.

 

Água é vida. Beba pelo menos 2l de água diariamente.

 

 

Referências Bibliográficas:

[1]. 6 Tips To Be “Water Wise” for Healthy Kidneys

Publicado: Rita | 2018-05-02 23:25 Última atualização: 2018-05-04 15:44:35 Fonte: Tags : Alimentação, Exercício físico, Prevenção, Rim, Verão
Partilhar:
Rita Santos

 Enfermeira no Serviço de Nefrologia / Diálise Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra – Polo HG

 Um novo rim pode não ser algo definitivo mas, enquanto prevalecer, deve ser estimado, conservado. Prevenir é e sempre será o maior cuidado de todos. Desta forma, deve-se agir  sempre com cautela e rigor para que o retrocesso para um programa de diálise esteja fora do horizonte.

Comentários