Nefrologia

Compreender as reações físicas e emocionais nesta fase de mudança.

Muitas pessoas têm serias dificuldades em acreditar que os seus rins não funcionam adequadamente, visto que têm sintomas ligeiros, por vezes, um pouco de fadiga ou até se sentem bem. É por isso que, por vezes, se chama a esta uma doença silenciosa. Neste momento muito particular da sua vida, podem surgir algumas reacções emocionais, absolutamente normais, que é bom aprender a conhecer e a compreender porque se manifestam.

 

O que sente quando lhe dizem que tem uma doença renal avançada e como enfrentar o início próximo da diálise.

Cada um de nós, em algum momento de vida, terá sofrido perdas, um amigo doente ou a morte de um familiar; as emoções que se manifestam nestes momentos de perdas importantes são iguais para todos. Perder um rim é uma experiência muito dura. O doente deixa de ter controlo sobre a sua saúde, tem de encarar algumas alterações na sua vida e não sabe exactamente quais serão. Por conseguinte, é natural sentir-se triste; esta alteração de disposição indica que está tomar consciência da nova situação. Esta tristeza pode não ser considerada uma coisa boa, representa uma fase obrigatória para encarar as alterações.

Pode ser importante falar sobre as alterações que esta situação poderá provocar na sua vida. Talvez possa partilhar estas dificuldades com o médico, enfermeiro, psicólogo.

 

Choque e negação

O choque é outra reação que pode ter quando lhe fazem o diagnóstico da doença renal; não acredita naquilo que o médico lhe está a dizer, ou melhor não quer ouvi-lo; “ é como se o mundo desabasse em cima de si”.

 Choque e negação são duas formas de ajudar a mente a amortecer a notícia brutal. Após esta fase que se deseja ser tão curta quanto possível, é importante “aceitar” o facto de que há uma doença renal; ignorar os sinais da doença renal não ajudam certamente a enfrentar essa realidade. Antes pelo contrário, não dar a devida atenção ao problema renal pode prejudicar ainda mais a sua saúde, mesmo que involuntariamente.

 

Medo e depressão

Quanto acontece algo de inesperado e desconhecido ligado à saúde sente-se medo. O medo é normal, como é normal sentir-se deprimido quando se enfrenta uma doença crónica. Estes sentimento podem atingi-lo a si e aos seus familiares próximos. Mas eles podem ser ultrapassados: quanto mais aprender sobre a doença mais consciente se sente, mais sereno e menos inseguro.

 

Raiva e sentimento de culpa

Poderá sentir-se irritado com as pessoas que o rodeiam, irritado consigo mesmo, irritado com a vida. Raiva e sentimento de culpa são emoções típicas sentidas pelas pessoas quando têm de encarar a doença. É muito fácil irritar-se com as pessoas que ama, contudo, isto pode apenas prejudicar essas pessoas e fazê-lo sentir-se ainda pior. É importante recordar que está irritado com o seu problema renal e não com as pessoas que o rodeiam e que o ajudam.  

 

Stress

Sempre que há uma alteração na vida, o stress aumenta: quando está pressionado por problemas graves irrita-se mais facilmente, mesmo face a situações que habitualmente não se irritaria. O stress pode fazê-lo sentir-se triste e cansado, valorizando mais a sua queixas do que era costume. Iniciar uma nova dieta, a diálise, novos tratamentos e análises podem aumentar o stress. Mas tudo isto visa ajudá-lo a sentir-se melhor e a encontrar um novo equilíbrio na vida.

 

As pessoas que ama

As pessoas que ama podem ter emoções semelhantes à sua, sentido-se inseguros sem saber como ajudá-lo. Também eles podem sentir-se irritados e culpados. Lembre-se, no entanto que nem todos sentem as mesmas emoções ao mesmo tempo.

Este pode ser um  momento difícil para si e para os seus entes queridos, é importante falar e expor todos estes sentimentos; até pedir para falar com um psicólogo para tentar entender, aceitar e lidar com os problemas identificados.

 

Coisas que ajudam

A primeira coisa que pode fazer é exactamente isto que está a fazer neste momento: aprenda tudo o que puder. Quanto melhor conhecer a doença renal mais seguro e apto se sentirá para controlar a sua situação.

Há um conjunto de informações disponíveis para o ajudar. Faça as coisas que o fazem sentir-se bem, mas que não são prejudiciais: descontraia, vá ao cinema, leia um livro, ouça musica, passeia, jogue às cartas, faça umas férias curtas….

Não deixe de fazer as coisas de que gosta, mesmo que não possa fazer exactamente aquilo que fazia antigamente: altere o mínimo possível á sua vida, passe o tempo com as pessoas que o fazem sentir-se melhor; é mais fácil ser optimista se as pessoas que o rodeiam o ajudarem. Se desejar, entre em contacto com outros doentes que já estejam a fazer diálise.

 

Lembre-se que não está só

Milhares de pessoas sofreram de doença renal e aprenderam a conviver com essa situação, tornando-se conhecedores nos cuidados consigo próprio: você pode ser uma dessas pessoas.

Publicado: portaldadialise | 2017-05-27 20:00 Última atualização: 2017-05-27 21:42:28 Fonte: Baxter Tags : Depressão
Partilhar:
Portal da Diálise

"Privilegia informação clara sobre a doença renal, assentando numa base de conhecimentos científicos actualizados"

Comentários