Nefrologia

A rabdomiólise é uma síndrome provocada pela destruição das células músculo-esqueléticas, que liberta substâncias intracelulares tóxicas para a circulação, que são prejudiciais ao organismo. 

 

A sua incidência é maior em individuos jovens do sexo masculino e a taxa de mortalidade por esta síndrome ronda os 5%. Em 10-15% dos doentes com rabdomiólise surge como consequência a insuficiência renal aguda (IRA). 

 

A rabdomiólise ocorre habitualmente em indivíduos saudáveis e a sua etiologia é multifactorial. É fundamental um tratamento eficaz e rápido da causa de modo a reduzir as consequências e a mortalidade associada a este sindrome. 

 

A lesão das células musculares leva á acumulação do cálcio no seu interior tornando-se tóxico, provoca contração do músculo, esgota as reservas energéticas e leva á morte das células. Quando a circulação é re-estabelecida nos tecidos lesados vai ocorrer uma reação inflamatória miolitica e com a morte das células as toxinas que estavam no seu interior são libertadas para a corrente sanguínea.

 

A destruição muscular evidencia nas análises sanguíneas um aumento do potássio, do fosfato, da ureia, da creatinina e o aparecimento de mioglobina no sangue e na urina.

 

 

A mioglobina é toxica para o rim, e apesar de por si só não causar lesão renal, em conjunto com a diminuição do volume de sangue em circulação e com a diminuição da perfusão do rim pode provocar uma Insuficiência Renal Aguda.

 

 

A mioglobina é uma proteína de baixo peso molecular que é filtrada livremente pelo rim, e quando há lesão muscular a sua concentração a nível da corrente sanguínea é elevada, ao ser eliminada em grandes concentrações atribiu uma coloração escura á urina. Normalmente, após o fim da lesão muscular os níveis sanguíneos de mioglobina voltam ao normal, ao fim de algumas horas, devido ao metabolismo hepático e á excreção renal. O problema é que a mioglobina é toxica para o rim, e apesar de por si só não causar lesão renal, em conjunto com a diminuição do volume de sangue em circulação e com a diminuição da perfusão do rim pode provocar uma IRA- IRA mioglobinúrica.

 

Causas

  • Traumáticas (ex.: queimaduras extensas, imobIlização prolongada).

  • Atividade muscular excessiva (ex.: exercicio físico intenso).

  • Alterações da temperatura corporal (exposição a altas ou baixas temperaturas).

  • Rutura ou diminuição da irrigação dos vasos musculares (ex.: trombose, embolia, choque).

  • Tóxicas (ex.: drogas, monóxido de carbono, mordedura de serpentes, aranhas e abelhas).

  • Farmacológicas (ex.: antihistamínicos, cafeína, anestésicos, corticóides,  antidepressivos, ácido aminocapróico).

  • Alterações eletrolíticas e endócrinas (ex.: hiponatrémia ou hipernatrémia - sódio baixo ou alto; hipocalcémia- cálcio baixo; hipofosfatémia- fosfato baixo; cetoacidose diabética; coma hiperosmolar diabético; hipotiroidismo ou hipertiroidismo).

  • Infeciosas (por vírus, bactérias, parasitas e fungos).

  • Doenças musculares inflamatórias (ex.: polimiosite, dermatomiosite).

  • Miopatias metabólicas (ex.: distrofias musculares).

 

 

Sintomas

De acordo com Galvão (2003) a rabdomiólise é caracterizada por uma tríade sintomatológica: mialgias, fraqueza muscular e urina escura. 

 

As mialgias ocorrem principalmente nos músculos das coxas, ombros e na parte inferior das costas.


Podem ainda surgir:

  • Hipersensibilidade, rigidez e contracturas musculares

  • Sensação de mal-estar generalizado

  • Náuseas e vómitos

  • Dor abdominal

  • Febre 

  • Taquicardia (batimentos cardiacos aumentados)

  • Alteração do estado mental

  • Diminuição do débito urinário

 

 

Complicações

  • Hipovulémia (diminuição do volume de sangue na circulação)

  • Alterações electrolíticas

    • Hipercaliémia  (potássio alto)

    • Hipocalcémia (cálcio baixo)

    • Hipercalcémia (cálcio alto)

    • Hiperfosfatémia (fosfato alto)

    • Hiperuricemia (ureia alta)

  • Acidose metabólica (aumento da acidez no sangue)

  • Síndrome compartimental (aumento da pressão dentro dos tecidos musculo-esqueléticos, que se manifesta por dor, e leve á necrose dos tecidos)

  • Coagulação intravascular disseminada (aumento das plaquetas e diminuição dos fatores de coagulação que inicialmente podem facilitar a ocorrência de  hemorragias e em casos mais graves provoca hemorragia interna e pode levar á morte)

  • Insuficiência renal aguda (IRA) mioglobinúrica 

 

Num doente com rabdomiólise, a elevação da creatinina (rápida e significativa) , potássio e fosfato sanguíneo, a diminuição do nível de albumina, a desidratação e um quadro de infeção são pronunciadores de vir a desenvolver uma IRA mioglobinúrica.

 

O tratamento passa pela eliminação da causa, tratamento de complicações analíticas e prevenção e tratamento da IRA, sendo a hidratação intensa precoce fundamental para evitar esta a necessidade de terapêuticas de substituição renal.

 

Quando não existem complicações associadas á destruição muscular os sintomas resolvem-se em dias ou semanas. Em casos de IRA mioglobinúrica o doente recupera a função renal normal, mesmo quando é necessário fazer alguns tratamentos de hemodiálise. 

Referências Bibliográficas:

[1]. GALVÃO, José et al – Insuficiência renal e rabdomiólise induzidas por exercício físico. Revista Portuguesa de Nefrologia e Hipertensão, 2003; 17 (4): 189-197.

[2]. OLIVEIRA, F. L. - Rabdomiólise : revisão bibliográfica com base num caso clinico de etiologia rara. Trabalho Final do Curso de Mestrado Integrado em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, 2016. http://hdl.handle.net/10451/26566

[3]. ROSA, Nuno G. et al – Rabdomiólise. Acta Médica Portuguesa, 2005; 18: 271-282

Publicado: Rita | 2018-07-07 11:18 Última atualização: 2018-07-08 10:02:26 Fonte: Tags : Exercício físico, Insuficiência Renal, Nefrologia
Partilhar:
Rita Santos

 Enfermeira no Serviço de Nefrologia / Diálise Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra – Polo HG

 Um novo rim pode não ser algo definitivo mas, enquanto prevalecer, deve ser estimado, conservado. Prevenir é e sempre será o maior cuidado de todos. Desta forma, deve-se agir  sempre com cautela e rigor para que o retrocesso para um programa de diálise esteja fora do horizonte.

Artigos Relacionados
Comentários